Forum Cidade

Forum Cidade

Partido Socialista
António Costa

Definição e Objectivos
Empenhada na promoção da participação dos seus militantes e dos cidadãos em geral na vida e no futuro da cidade de Lisboa, a Comissão Política Concelhia de Lisboa (CPCL) do Partido Socialista decidiu criar e institucionalizar de forma permanente um espaço de debate político e social: o Forum Cidade. Contribuir para a construção, em termos programáticos, de uma alternativa de governo para a cidade de Lisboa e alargar a base de participação dos cidadãos na reflexão sobre a gestão da cidade, propondo iniciativas a desenvolver pelos autarcas socialistas numa lógica territorial adequada ao tecido social e urbano em análise são os dois grandes objectivos que o Forum Cidade se propõe prosseguir. O Forum Cidade será uma estrutura informal da Comissão Política Concelhia de Lisboa, que deverá envolver militantes do PS e cidadãos independentes no compromisso de reflectir conjuntamente sobre as potencialidades e os problemas de Lisboa, tendo em vista a procura e a formulação de propostas que visem o desenvolvimento sustentável da cidade, a busca de soluções para questões inadiáveis ou até a tomada de posição em matérias que considere relevantes.
Forum Conclusões Conclusões dos grupos de trabalho do Forum Cidade apresentadas em Lisboa no dia 2005/05/03:
(documentos em pdf)

Conclusões (694 KB)
Qualidade Vida/Ambiente (296 KB)
Escola e Comunidade (177 KB)
Política Urbana (234 KB)
Desporto (241 KB)
Espaço Público (152 KB)
Segurança Rodoviária (258 KB)
Modelo Económico (480 KB)

Forum Conclusões
Digite o seu eMail para ser notificado de novos conteúdos no Forum Cidade!

powered by Bloglet


Arquivos

Julho 2003

Setembro 2003

Outubro 2003

Novembro 2003

Dezembro 2003

Janeiro 2004

Fevereiro 2004

Março 2004

Abril 2004

Maio 2004

Junho 2004

Julho 2004

Agosto 2004

Setembro 2004

Outubro 2004

Novembro 2004

Dezembro 2004

Janeiro 2005

Março 2005

Abril 2005

Maio 2005

Junho 2005

Julho 2005

Agosto 2005

Setembro 2005

Outubro 2005

Março 2007

Abril 2007

Maio 2008

Junho 2008



Correio para:
forumcidade2@gmail.com





Outros WebSites

Partido Socialista

Comissão Política Concelhia de Lisboa


Grupo Parlamentar PS



Outros Blog's do PS

Outros Blog's sobre Lisboa
Diários de Lisboa
Imagens da Cidade
Jornal da Praceta
Lisboa abandonada
Lisboa a arder
Pelourinho da Lisboa
Viver Bem na Alta de Lisboa
Vizinhos

Outros Blog's
Abrangente
Adufe
Almocreve das Petas
Ânimo
Assembleia
Bioterra
Blogo Social Português
Blog sem nome
Bloguítica
O Carimbo
Causa Nossa
O Cheiro a torradas pela Manhã
Descrédito
Estrago da Nação
Forum Comunitário
Fumaças
Gang
Janela para o Rio
Jaquinzinhos
O Jumento
Mar Salgado
Minisciente
O País Relativo
A Pantera Cor de Rosa
Pessoal in Transmissível
À Procura da Cleópatra
República Digital
Respirar o Mesmo Ar
Ser Português (Ter que)
TM&RP
A Toca do Gato
Victum Sustinere
Viva Espanha


PTbloggers

Technorati


Tugir em português


Partido Socialista
Comissão Política
Concelhia de Lisboa



Cartazes 2004/5 Gente que Faz
2003




Forum Cidade
Estrutura informal da Comissão Política Concelhia de Lisboa
quinta-feira, junho 09, 2005
 
Janela Torre de Belém
[091/2005]
O equipamentos e a prática
desportiva em Lisboa - o papel da CML

O Desporto e a política de equipamentos desportivos, é um dos projectos mais mobilizadores nas sociedades actuais e tem um papel determinante no desenvolvimento das cidades e na renovação urbana de qualquer aglomerado urbano.
O Desporto é portador de valores sociais, educativos e de saúde, proporcionando a coesão social e a integração dos diversos extractos populacionais, para além de ter uma crescente dimensão económica.
Por outro lado, os equipamentos desportivos na cidade transformam fortemente o território. Provocam alterações na estrutura urbana, nas redes viárias e de transportes, além de que o funcionamento dos equipamentos desportivos, gera uma actividade económica importante, e a exploração das infra estruturas e dos acontecimentos desportivos tem uma enorme incidência no comércio, na hotelaria, na restauração e no desenvolvimento do turismo urbano.
Logo os equipamentos desportivos não podem ser considerados objectos urbanos autónomos.
Têm que se planear e projectar inseridos numa estratégia de planeamento de toda a cidade, e não como peças que se ?plantam? aleatoriamente em bocadinhos de terrenos que sobram, que foi o que se passou com algumas das actuais piscinas municipais em construção em Lisboa.
A importância destes equipamentos, não só para a prática desportiva dos cidadãos mas também na inserção social de extractos populacionais mais desfavorecidos e afastados destas actividades, não pode deixar de ser considerada seriamente na política desportiva da cidade de Lisboa.
A inexistência de um verdadeiro Plano Desportivo Municipal (é demasiado redutor ter uma carta desportiva e dizer que a cidade tem ou terá x metros quadrados de equipamentos desportivos/habitante), é constrangedor.
Entre muitas outras premissas, é necessário conhecer os verdadeiros hábitos da população e os seus anseios nesta área, para que se ajustem as necessidades à procura e não o oposto. Não adianta ter campos de jogos e piscinas novas em folha se não se sabe minimamente quem os irá frequentar e que política de gestão lhes está subjacente.
Em Lisboa, onde a população residente não atinge os 600.000 habitantes, e 54,3% é do sexo feminino, cerca de 25% dos habitantes têm menos de 24 anos e 52% da população tem idade compreendida entre os 25 e os 64 anos.
Temos portanto uma cidade com muitos adultos e poucos jovens e crianças, a maior parte daqueles com actividades profissionais sedentárias e com pouca motivação e tempo para uma qualquer prática desportiva.
É verdade que cada vez mais a actividade desportiva, é menos formal, requer espaços multifuncionais muitos deles ao ar livre, e tem uma componente mais lúdica e menos centrada na competição "tout court". Por isso, a procura do bem-estar físico e psíquico, associada ao individualismo, está a conduzir a algumas actividades físicas autónomas.
As alterações dos hábitos da população em geral e da população citadina em particular, simultaneamente com os conceitos de bem-estar e da qualidade de vida que fazem parte das exigências actuais de uma percentagem cada vez maior de pessoas, obrigam a que as instituições que têm a seu cargo o planeamento, a construção e a gestão de equipamentos desportivos e de lazer, tomem decisões nesse sentido.
Por outro lado os novos modelos de práticas desportivas especialmente para os mais jovens (skate, patins em linha, e outros desportos mais ou menos radicais) constroem espaços tanto sociais e geográficos como simbólicos, que obriga a repensar a organização espacial e o reordenamento do espaço público na cidade.
E é evidente que a CML não tem, há muito tempo, em linha de conta nenhum destes factores cruciais.
A dispersão de competências, e a inexistência de uma reflexão séria e consistente nesta área é total, o que não deixa de ser extremamente desmotivante para todos os que dentro da autarquia, se preocupam verdadeiramente com este sector estratégico para a cidade e para os cidadãos.
Lisboa tem condições geográficas e climatéricas invejáveis para todas as práticas desportivas, incluindo as náuticas. Como é que se pode então desperdiçar uma frente de 17 km de frente ribeirinha?
Independentemente das "quintas" que existem, também é verdade que com diálogo e com a tal estratégia, Lisboa podia (e terá que ter num futuro muito próximo) uma grande percentagem da população envolvida em actividades desportivas à beira rio e no rio.
A CML não pode arranjar desculpas para continuar nesta apatia "a ver passar os navios", pelo que é imprescindível dinamizar os desportos náuticos e todas as actividades que se possam localizar à beira mar.
A Câmara Municipal de Lisboa tem que assumir a parte de responsabilidade que lhe cabe na promoção da actividade física dos cidadãos, no rastreio das "doenças da civilização" moderna e no aconselhamento e divulgação das boas práticas e estilos de vida saudáveis, e educação para a saúde, através de programas e projectos específicos e correctamente direccionados.
O Desporto tem que ser de facto uma das prioridades a assumir no quadro geral das preocupações dos novos responsáveis técnicos e políticos no futuro da cidade, pelo que esperamos que na campanha eleitoral que se avizinha possamos mostrar aos cidadãos, qual é a nova estratégia para esta nossa cidade.
Branca Neves
6/09/2005 01:58:00 da manhã . - . Página inicial . - . Comentários (0)



This page is powered by Blogger. Some Text