Forum Cidade

Forum Cidade

Partido Socialista
António Costa

Definição e Objectivos
Empenhada na promoção da participação dos seus militantes e dos cidadãos em geral na vida e no futuro da cidade de Lisboa, a Comissão Política Concelhia de Lisboa (CPCL) do Partido Socialista decidiu criar e institucionalizar de forma permanente um espaço de debate político e social: o Forum Cidade. Contribuir para a construção, em termos programáticos, de uma alternativa de governo para a cidade de Lisboa e alargar a base de participação dos cidadãos na reflexão sobre a gestão da cidade, propondo iniciativas a desenvolver pelos autarcas socialistas numa lógica territorial adequada ao tecido social e urbano em análise são os dois grandes objectivos que o Forum Cidade se propõe prosseguir. O Forum Cidade será uma estrutura informal da Comissão Política Concelhia de Lisboa, que deverá envolver militantes do PS e cidadãos independentes no compromisso de reflectir conjuntamente sobre as potencialidades e os problemas de Lisboa, tendo em vista a procura e a formulação de propostas que visem o desenvolvimento sustentável da cidade, a busca de soluções para questões inadiáveis ou até a tomada de posição em matérias que considere relevantes.
Forum Conclusões Conclusões dos grupos de trabalho do Forum Cidade apresentadas em Lisboa no dia 2005/05/03:
(documentos em pdf)

Conclusões (694 KB)
Qualidade Vida/Ambiente (296 KB)
Escola e Comunidade (177 KB)
Política Urbana (234 KB)
Desporto (241 KB)
Espaço Público (152 KB)
Segurança Rodoviária (258 KB)
Modelo Económico (480 KB)

Forum Conclusões
Digite o seu eMail para ser notificado de novos conteúdos no Forum Cidade!

powered by Bloglet


Arquivos

Julho 2003

Setembro 2003

Outubro 2003

Novembro 2003

Dezembro 2003

Janeiro 2004

Fevereiro 2004

Março 2004

Abril 2004

Maio 2004

Junho 2004

Julho 2004

Agosto 2004

Setembro 2004

Outubro 2004

Novembro 2004

Dezembro 2004

Janeiro 2005

Março 2005

Abril 2005

Maio 2005

Junho 2005

Julho 2005

Agosto 2005

Setembro 2005

Outubro 2005

Março 2007

Abril 2007

Maio 2008

Junho 2008



Correio para:
forumcidade2@gmail.com





Outros WebSites

Partido Socialista

Comissão Política Concelhia de Lisboa


Grupo Parlamentar PS



Outros Blog's do PS

Outros Blog's sobre Lisboa
Diários de Lisboa
Imagens da Cidade
Jornal da Praceta
Lisboa abandonada
Lisboa a arder
Pelourinho da Lisboa
Viver Bem na Alta de Lisboa
Vizinhos

Outros Blog's
Abrangente
Adufe
Almocreve das Petas
Ânimo
Assembleia
Bioterra
Blogo Social Português
Blog sem nome
Bloguítica
O Carimbo
Causa Nossa
O Cheiro a torradas pela Manhã
Descrédito
Estrago da Nação
Forum Comunitário
Fumaças
Gang
Janela para o Rio
Jaquinzinhos
O Jumento
Mar Salgado
Minisciente
O País Relativo
A Pantera Cor de Rosa
Pessoal in Transmissível
À Procura da Cleópatra
República Digital
Respirar o Mesmo Ar
Ser Português (Ter que)
TM&RP
A Toca do Gato
Victum Sustinere
Viva Espanha


PTbloggers

Technorati


Tugir em português


Partido Socialista
Comissão Política
Concelhia de Lisboa



Cartazes 2004/5 Gente que Faz
2003




Forum Cidade
Estrutura informal da Comissão Política Concelhia de Lisboa
quinta-feira, setembro 22, 2005
 
[112/2005]
A opção dos Lisboetas

Tomo hoje por tema as eleições autárquicas, dirigindo-me em especial aos portugueses que votam em Lisboa não porque considere que os demais combates democráticos não são igualmente dignos e, sobretudo, potencialmente importantes para cidadãos ávidos de uma representação à altura das aspirações que julgam legítimas para as suas terras de origem ou adopção. Mas porque a disputa da capital integra em si muito de demonstrativo do que de pior tem vindo a marcar o Portugal recente, ajudando à desorientação de caminhos em que nos fomos enredando e à confusão generalizada que por cá impera.

Temos, de um lado, um candidato que esteve em permanência no poder ao longo dos últimos quatro anos, transitando de n.º2 da Câmara para o Governo e deste para Presidente daquela, voltando depois a nela ser Vice para agora acabar de novo como n.º 1. Sempre sob a protecção de um "amigo" que o lançava, indicava e comandava numa cadeia "marionetada" de processos de que o dito protagonista ia obtendo alguma notoriedade derivada. Até que o chefe cai em desgraça, primeiro no País e depois no Partido, abrindo espaço à revelação do súbdito em toda a sua dimensão: abandona o "amigo", distancia-se do que não o favorece, rejeita todos os companheiros de vereação. Assim finalmente assumido, o homem vai - agora sim - "dar a cara por Lisboa", "arregaçar as mangas" e mostrar que só os engenheiros sabem de contas. E pode? Se a SIC continuar a ajudar e se os lisboetas levarem mais às urnas a sua insatisfação com o autismo politiqueiro face ao momento nacional do que uma repulsa pela menoridade de certos agentes, quem sabe!

Temos, do outro lado, um candidato que - sendo polémico - fez muito do trajecto que tantos afirmam desejável e merecedor de apreço: uma declaração de vontade pessoal e autónoma, uma resistência a práticas e interesses instalados no seu próprio partido, uma preparação competentemente participada nas principais áreas de actuação municipal, uma equipa equilibrada no sentido da abertura à sociedade e da renovação da política, uma aproximação crescente ao terreno e aos problemas concretos. Não, não estou a defender que Carrilho fez tudo certo, que as suas propostas sejam a via para o paraíso ou que não existam características e factos que o possam fragilizar. Apenas não confundo "a árvore com a floresta", embarcando em moralismos, invejas ou vendetas que as mais das vezes encobrem variados vidos privados, o pior da sociedade mediática ou o poder efémero da mediocridade. Outros momentos já ilustraram a inteligência com que os portugueses decidem que a vida pessoal não releva, que o apelo ao escândalo não passa e que as querelas partidárias têm ânimos insondáveis de análise. Se os lisboetas optarem por Carrilho será certamente por se fixarem em algo - carreira intelectual, reconhecimento internacional, obra governativa, experiência democrática, coragem política, diferenciação de propostas -, sabendo-o naturalmente, e enquanto ambos assim o quiserem, com Bárbara Guimarães a seu lado.
Fernando Freire de Sousa
in Diário Económico)22/09/2005
9/22/2005 12:11:00 da tarde . - . Página inicial . - . Comentários (0)



This page is powered by Blogger. Some Text